A viver um pesadelo de novo!

outubro 10, 2018

Deus lá sabe o que faz mas ninguém merece passar duas vezes pelo mesmo pesadelo, estar grávida e não poder disfrutar ao máximo é tão triste, logo está que devia ser a  fase mais bonita  na vida de uma mulher! 

A gravidez do Tomás foi atribulada, muito repouso e magnésio para combater as contrações que se fazia sentir logo de muito cedo... Ele crescia bem apesar de todos os contratempos e do líquido que se ia escaceando com o tempo. O “cerco” apertou e começou a ser seguido com mais frequência vivemos metade da gravidez na cama até ele nascer de parto induzido as 37semanas e uns dias! 

Claro que no dia em que ele nasceu eu esqueci todo aquele drama, aqueles dias a fio na cama tinha ficado num cantinho da minha cabeça  a ganhar teias e pó e lá permaneceram até ontem! Quando o meu mundo volto a desabar! 

Descubri que estava grávida porque comecei com dores! Sim a menstruação ainda não tinha sequer atrasado e já o meu corpo estava a dar sinal que havia algo que não estava normal! Disse ao pai “Estás são as dores que tive do Tomás! Só posso estar grávida!” Fiz um teste e deu positivo.
Dês do início que tenho vindo a queixar me com dores... Sempre foram um pouco desvalorizaras nas consultas, ora porque o útero está a crescer, ora porque a placenta se está a fixar-se  ao útero e ontem porque talvez fosse falta de água! Depois de me puxar as orelhas de me dar um grande sermão da importância da água e de me dizer que não tinha pena nenhuma das minhas dores porque o problema com certeza era falta de água passamos a medição da barriga... Deitei me na maca e questionei se seria normal a menina estar tão descida... 

Fez se silêncio na sala, mediu-me, apalpou-me e surgiu um pedido de desculpa! Afinal eu tinha motivos para ter tantas dores, afinal não é apenas falta de água! São contrações e muito avançadas! (Já me apanha o coxis e me tira o andar muitas vezes). A menina está muito descida mas quando digo muito é mesmo muito e foi nessa altura que me meteram entre a espada e a parede! “Oh pararas ou a menina pode nascer a qualquer momento!” Segui-o-se de uma grande explicação das complicações que um bebé tem quando nasce de tão pouco tempo( e da pouca probabilidade de sobrevivência com 23semanas) e de todos os problemas que lhe irão acompanhar para sempre. Na verdade metade das coisas não ouvi porque entrei num desespero total só pensava que é tão difícil uma mãe com um filho de 3 anos e uma casa para tratar fazer repouso. E por outro lado o meu coração a ser forte e a pensar que não, que a Maria será como o Tomás uma guerreira e se vai manter no forninho da mãe até ao novo ano! 

Não é fácil, sai da consulta de rastos, e vim para casa de coração partido! Queria ou menos uma vez na vida disfrutar de uma gravidez. Não será desta e nem sei se quero tentar uma próxima, para ter de voltar a passar por tudo isto deixo me ficar bem quieta no meu cantinho!


Conclusão estamos de repouso, estou até proibida de meter um prato na máquina! Não fará diferença porque não a tenho mas dava um jeitasso agora. Muito repouso e magnésio, se dentro de uma semana não melhorar nada tenho que ir obrigatoriamente para a maternidade. Entretanto voltamos a repetir eco da princesa no início de novembro. Vamos ter de acompanhar o seu crescimento para perceber se ela no pouco espaço que tem consegue se desenvolver bem e não há restrição de crescimento... 

Ontem não foi de todo um dia fácil, hoje acordei mais bem disposta e com força para ultrapassar mais um obstáculo da nossa vida...


You Might Also Like

1 comentários

  1. Força ! Não sei o que isso é, mas também não tenho tido uma gravidez fácil . Espero que corra tudo pelo melhor *

    ResponderEliminar